Ação de Sustentabilidade do Projeto Brazilian Furniture chega à quarta etapa

 

Até março serão apresentados os resultados dos diagnósticos internacional, nacional e das empresas do projeto

 

Está em desenvolvimento a quarta etapa da Ação de Sustentabilidade do Projeto Brazilian Furniture, realizado em parceria com o Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP). O polo de Bento Gonçalves abriu essa nova fase e estão agendados seminários para apresentação dos resultados obtidos nas etapas anteriores para os polos de Arapongas, Mirassol, Chapecó e São Bento do Sul.


Nessa nova etapa, que englobará os três primeiros meses deste ano, serão detalhados os resultados dos diagnósticos internacional, nacional e das empresas do projeto com o objetivo de engajá-las na construção de planos de ação com foco em sustentabilidade.


A proposta do diagnóstico internacional foi mapear os padrões de sustentabilidade adotados no mercado internacional de móveis, abrangendo selos e certificações socioambientais para a indústria moveleira, as barreiras à importação nos países considerados prioritários pelo Projeto Brazilian Furniture e suas normas técnicas, além de experiências do setor moveleiro nacional.


Já o diagnóstico nacional apurou os padrões de sustentabilidade adotados na cadeia do setor moveleiro no Brasil. Esse levantamento incluiu o mapeamento de políticas públicas relevantes para a indústria moveleira, as normas técnicas e as certificações ambientais. Aqui também foram analisadas as experiências do setor moveleiro no país.


Entre os resultados do diagnóstico internacional, destacam-se a falta de padronização entre as normas técnicas estabelecidas por diferentes países e a baixa existência de normas técnicas com foco em questões socioambientais . Por outro lado, já existem diversos selos e certificações socioambientais exclusivos para a indústria moveleira, amplamente vigentes na União Europeia e nos Estados Unidos. Quanto ao diagnóstico nacional, as normas técnicas brasileiras para mobiliário focam na qualidade dos insumos e seus processos, além de requisitos de segurança dos produtos, apesar de algumas normas cobrirem aspectos como limites para emissão de substâncias tóxicas. Além disso, entende-se que são relevantes para o setor as certificações FSC e os programas de rotulagem desenvolvidos pela ABNT: o CERFLOR, voltado para certificação de florestas (manejo florestal e da cadeia de custódia) e o ABNT/Qualidade Ambiental, voltado para produtos.


O Projeto Brazilian Furniture, que tem por objetivo promover as exportações brasileiras de móveis, é desenvolvido em parceria pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), pelo Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário do Distrito Federal (SINDIMAM) e pela Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel).