Estudo aponta potencial de crescimento para a venda de móveis brasileiros na Colômbia

 

Consumidores colombianos valorizam o design e a estética do mobiliário fabricado no Brasil

 

Com o objetivo de mapear as oportunidades de negócios, preferências dos consumidores, concorrência, preços praticados, vantagens e desafios para a indústria moveleira nacional, a equipe de inteligência comercial do Projeto Brazilian Furniture conduziu, com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), do Centro de Negócios da Apex em Bogotá e do SECOM da Embaixada Brasileira na Colômbia, um estudo abrangente que analisa dados macroeconômicos, políticos e demográficos, além de apresentar os resultados de uma pesquisa qualitativa e quantitativa do setor moveleiro local.


Em 2012, a Colômbia, um dos nove mercados-alvo do Projeto, importou um total de US$ 185,3 milhões em móveis, com o Brasil respondendo por 6,2% desse valor, superado apenas pelos Estados Unidos (8%) e pela China, com expressivos 50,3%.


“Trata-se de um mercado conservador, que privilegia o produto nacional e muito receptivo aos móveis de madeira”, analisa Adriana Katekawa, responsável pela área de inteligência comercial do Projeto.


Uma pesquisa realizada pela consultoria Mercadeo y Opinion em Bogotá apresentou fotos de um mix de 20 produtos das empresas do Projeto Brazilian Furniture para 300 consumidores de diferentes segmentos socioeconômicos, idades e sexos. Assim, foi identificado que entre os atributos mais valorizados nos móveis brasileiros estão o design, a estética e a elegância do móvel, bem como a sua funcionalidade e a qualidade do material empregado.


Ainda segundo a pesquisa, a maior parte dos consumidores colombianos adquire seus móveis em lojas especializadas, nos fabricantes ou em homecenters, sendo que as compras em lojas de departamento são menores do que as observadas no Chile e no Peru.


“Iniciativas como essa ajudam a conhecer melhor as peculiaridades do mercado, ampliando as chances de realização de negócios. Existe espaço para o aumento das exportações de móveis do Brasil para a Colômbia, uma vez que este ano o país deverá registrar 4% de crescimento no volume de importações de mobiliário em geral, com destaque para produtos de metal e sintéticos”, conclui Adriana Katekawa.