FIMMA Brasil reafirma expectativa de crescimento em 2015

São Paulo, março de 2015 – O êxito nos negócios alcançado pelos participantesda FIMMA (Feira Internacional de Máquinas, Matérias-Primas e Acessórios para a Indústria Moveleira) foi uma oportunidade para o presidente da Abimóvel, Daniel Lutz, evidenciar as premissas do Projeto Brazilian Furniture para este ano.

O evento, realizado em Bento Gonçalves (RS) de 16 a 20 de março, destacou-se pela representatividade das indústrias do setor e pelo potencial para novos mercados. Foram mais de 445 expositores e 600 marcas.

Segundo Daniel Lutz, “o cenário para a indústria moveleira é de cautela, mas é preciso que as empresas estejam atentas às oportunidades. E a FIMMA Brasil 2015 representa uma importante etapa do caminho a ser trilhado pela indústria para contornar os desafios da atual conjuntura”. “Esse start nos negócios é também a chance para que os empresários possam reverter a situação do setor, apostando nos caminhos que a feira sinaliza”, afirmou o presidente da Abimóvel. Circularam pela feira mais de 33,5 visitantes, oriundos de cerca de 40 países.

A participação na FIMMA pertence a um intenso calendário de atividades do Brazilian Furniture, um programa da Abimóvel, com 51 empresas participantes,em parceria com a Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimento) a fim de promover o setor moveleiro e consolidar a sua imagem e competitividade no mercado nacional e internacional.

O Projeto Comprador da FIMMA Brasil resultou em 440 rodadas de negócios, entre 60 empresas e 20 importadores, vindos da África do Sul, Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, EUA, México, Peru, Guatemala e Turquia. As negociações ali firmadas devem chegar ao montante de US$ 7.5 milhões. Além da Apex, o Projeto Comprador nesta ocasião teve o apoio da Orechestra Brasil.

A FIMMA se destacou também pelo Workshop de Móveis, num projeto que teve o apoio da Abimovel e do Sebrae, e pelo FIMMA Marceneiro, projeto paralelo à feira que reuniu cerca de 400 profissionais do ramo, vindos de caravanas de estados como Rio Grande do Sul, Pernambuco, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Paraíba, Distrito Federal, Paraná e Amazonas.