Index Dubai é porta de entrada para os móveis brasileiros em um mercado que deverá movimentar US$ 9,2 bi em 2013

 

Oito empresas nacionais participam da Index Dubai 2013 em busca de oportunidades para expandir sua presença na região

 

Pela nona vez consecutiva, o Brazilian Furniture, projeto de fomento à exportação de móveis desenvolvido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), participa da  Index Dubai – Emirados Árabes Unidos, uma das principais feiras de interiores do mundo.


Localizado no Hall 5, o Pavilhão Brasileiro ocupa uma  área total de 420 m² e exibe aos visitantes da mostra, que prosseguirá até a próxima quinta-feira, 23, o diferenciado portfolio de produtos das empresas Ditalia, Luhome, Politorno, Saccaro, Unicasa, Vamol, A Lot Of e Cristais São Marcos, incluindo móveis e itens de decoração para sala de estar, quarto, dormitório, cozinha, banheiro e infantil. Este ano, a Index Dubai reunirá mais de 850 expositores de 45 países. 


Relacionado entre os 10 maiores fabricantes de móveis do mundo, o Brasil se destaca internacionalmente pela produção de um mobiliário variado, de alto valor agregado e com design que harmoniza modernidade e sofisticação.


“Os Emirados Árabes Unidos, que têm Dubai como um de seus sete territórios, está entre os principais mercados-alvo do Brazilian Furniture. Na comparação entre o primeiro trimestre de 2012 e 2013, as vendas de móveis para essa região cresceram 19%, explica Adriana Katekawa, responsável pela área de Inteligência Comercial do Projeto.


Segundo dados do relatório elaborado pela Ventures Middle East, US$7.2 bilhões foram investidos em projetos de decoração na região em 2012. Este valor deverá atingir US$ 9,2 bilhões este ano, o que representa um crescimento da ordem de 28%. Até março de 2013, o setor residencial foi o que mais gastou: US$ 3,3 bilhões. As previsões apontam que os Emirados Árabes Unidos devem liderar os investimentos em decoração, atingindo a soma de US$ 1,53 bilhão, seguidos pela Arábia Saudita (US$ 1,13) e o Catar (US$ 300 milhões).


No ano passado, os empresários brasileiros realizaram 824 contatos durante a Index Dubai com potenciais parceiros dos Emirados Árabes Unidos, Omã, Índia, Arábia Saudita, Catar e Kuwait, projetando negócios da ordem de US$ 3,3 milhões para as empresas participantes até o final deste ano. “As perspectivas de investimento crescente em mobiliário pelos países da região, os resultados positivos das exportações brasileiras e o perfil de estímulo à geração de negócios transformam a Index Dubai na plataforma ideal para consolidarmos a presença dos móveis brasileiros não apenas no Oriente Médio, mas também na África”, conclui Adriana Katekawa.